segunda-feira, 2 de abril de 2012

Poder, política e Estado no Brasil


- O estado ate o fim do século XIX.
Entre 1500 e 1822
Todas as decisões políticas relacionadas à colônia de Portugal na América eram tomadas pelo soberano português, que mantinha um Estado absolutista, os moradores da colônia só cumpriam as decisões.

Entre 1822 e 1889:
Da independência a república, havia no país um Estado imperial constitucional com os poderes Executivo ( Conselho de Estado), Legislativo (Assembleia Geral, composta do Senado e da Câmara dos Deputados) e Judiciário (Supremo Tribunal de Justiça). O poder moderador ficava acima dos outros três, pois o imperador nomeava os integrantes do Conselho de Estado ( O executivo ) e do Senado, e escolhia os membros do Supremo Tribunal.

República Velha: O estado oligárquico ( de-1889 a 1930 ):
 A República no Brasil surgiu de um movimento da cúpula militar, sem a participação da população. O brasil era um país essencialmente agrário, com um Estado oligárquico que excluía a participação popular. Em 1891 criou a República Federativa do Brasil, isso significava que o Brasil era um conjunto de províncias ( os atuais estados), as quais tinham autonomia e uma constituição própria que definia o judiciário, as forças armadas, os códigos eleitorais e a capacidade de criar impostos.
  
O período Vargas ( de 1930 a 1945). 
Dois golpes de Estado delimitam esse período: um pra colocar Getúlio Vargas no poder e outro para derrubá-lo. Vargas deixou um legado de leis trabalhistas e a concepção de um país com um projeto nacional que continuou nos anos seguintes.

A República com a marca Vargas: o Estado liberal ( de 1945 a 1964). 
O estado estruturou-se com uma nova constituição em 1946, considerada politicamente libera, mas que permitia a intervenção na economia, principalmente na infraestrutura necessária ao processo de industrialização. Com Juscelino Kubitschek, se implantou a indústria nacional de bens duráveis, graças a estrutura da tríplice aliança. o Estado, o capital nacional e o capital estrangeiro possibilitou um grande desenvolvimento econômico e industrial no Brasil. 

A República dos generais ( de 1964 a 1985). 
O golpe militar em 1964 segundo os golpistas, o objetivo era acabar com a anarquia e a insegurança que levariam o país ao comunismo, os militares argumentavam também que era a única maneira de deter a inflação, que estava absurdamente alta, e de avançar no processo de industrialização já em curso.

O retorno à democracia (de 1985 a nossos dias)
Após a abertura, o Brasil viveu a fase do estado liberal democrático, que procurou definir as bases democráticas de convivência política, Essa fase se iniciou com a eleição indireta, pelo Colégio Eleitoral, do primeiro presidente civil que deveria substituir os militares no governo.

No governo de Luiz  Inácio Lula da Silva, que sucedeu ao de Fernando Henrique Cardoso, foi necessário manter e ampliar políticas de compensação à concentração de renda e às desigualdades sociais, que continuavam muito grandes.
     
Postado Por: Dilson Júnior. 

4 comentários: